Coração de Leão

Uma autobiografia que envolve Amor e Fé entre mãe e filhos, capaz de mostrar que o Amor incondicional vai além da despedida... E ainda é capaz de recomeçar.

Filtering by Tag: Miguel

O meu SIM


19848952_1461258127295198_117497805_n.jpg

Passei meses da minha gravidez sem ter a certeza de que poderia tocar no MEU filho, ao nascer. E quando ouvi do cardiologista: "Sim, você vai poder beijá-lo", foi uma alegria infinita.

E enquanto boa parte das mães estava com seus filhos ao seu lado, eu atravessava corredores e me juntava a outras mulheres de corações aflitos por ver seus filhos. 

Tive que seguir ordens. 
Ouvir muitos Nãos! 
Não pude muita coisa. 

A sensação que tinha era como a de uma leoa, recém-parida, vendo sua cria isolada e não poder lamber, cheirar, tocar. 
Eu sabia que tudo era pelo bem do Miguel. Mas lá no fundo, no meu coração sangrando de mãe, surgia um abismo com a falta que tudo isso me fazia. E o que me confortava era: "Um dia sairemos daqui e poderei fazer tudo o que hoje não posso."

Mas esse dia nunca chegou. 

Todo o tempo o MEU filho foi dos médicos, das enfermeiras, das técnicas, até porque eles faziam muito mais do que eu. Já disse uma vez, me sentia mãe por tabela. 

Nunca amamentei o Miguel no meu peito. Nunca troquei uma fralda. Não cuidei do seu umbigo, nem dei banho. 

Imaginem... sonhar por todos aqueles 9 meses com uma vida para o meu filho (pois eu sonhava de ver meu gordinho jogando bola com o pai, chegando da escola fantasiado, brincando na areia da praia) e não ter o mínimo pra mim.

O abismo ficou.

Com a chegada do Theo, eu senti e sinto a necessidade de preencher essa falta. Aquela leoa acuada que rondava a incubadora agora tem seu filhote aqui pra lamber, cheirar, sentir.

E todas as loucuras que cometo levando à minha exaustão são pelos meus dois filhotes. Mas também por mim, que ouvi tantos Nãos! 

E mesmo que muitos não entendam, saibam: EU PRECISO preencher a minha vida de apenas SIM. 
 

Aracelli Moreira

 

Qualquer reprodução deste texto deverá seguir a fonte de autoria Aracelli Moreira www.coracaodeleao.com.br

 

Se é importante pra você, é importante pra mim!


mãe e filho

Uns meses atrás, enquanto olhava o Theo dormir, me veio à cabeça o dia da cirurgia do Miguel. Não sei o porquê, mas passou tudo nos mínimos detalhes daquele 5 de janeiro. Quando dei por mim, estava submersa nas minhas lembranças desse dia... dava para ouvir os monitores cardíacos daquela UTI, dava pra sentir o cheiro do álcool 70 que passava nas mãos. 
No dia seguinte, indo trabalhar, parei num sinal e vi um relógio de rua marcar
6:25...
22º...
5 JAN. 

Era uma manhã de setembro (acho), e aquele relógio me mostrou por três vezes: 5 JAN.
Todos os outros me mostraram a data real que estava, mas aquele me disse muito mais.

Eu nunca sonhei com Miguel. Nunca tive resposta de nada. Tudo que eu sei é o que sinto. Mas naquele dia, ele me mostrou que apesar de não estar aqui, está sempre comigo. 
Hoje faz 2 anos que nos despedimos. E apesar de nunca esquecer de todos os detalhes daquele 6 de janeiro, de tudo que doeu, que me transformou, que mudou na minha vida, das lembranças que tenho dentro do coração, tenho a sensação do quanto foi importante esse dia para ele. 
Porque foi o dia que ele cumpriu tudo o que devia aqui. Que possivelmente olhou para nós e viu o quanto foi (e é) amado, que recebeu todo amor de que precisava e que naquele momento voltou pra Casa. Então este dia também é importante pra mim, porque foi para ele.
E não adianta dizer a uma mãe que "não se deve pensar nessas datas, ou que se deve esquecer tais lembranças", pois tudo está registrado aqui dentro, como tatuagem, marcas que fazem parte de mim, pra sempre. E por mais que se queira, nunca apagam. E eu não quero que sumam.
Porque tudo o que passamos naqueles corredores faz parte do meu filho.
Porque a dor também faz parte do meu filho.
A saudade também faz parte do meu filho.
Porque tudo que faz parte dele é MEU, e eu QUERO.
Mas meu leãozinho é tão maravilhoso que consegue preencher todos os espaços da sua história com muuuuuito Amor. Ele me sustenta assim.
Eu tenho o direito de chorar de saudade.
Eu tenho o direito de falar do dia da nossa breve despedida.

Porque só há saudade onde há amor
e isso, Miguel, você sabe me dar e muito.

Voa, Leãozinho! 
Aracelli Moreira

Qualquer reprodução deste texto deverá seguir com a fonte de autoria de Aracelli Moreira www.coracaodeleao.com.br

Meu pai é...


By @elena_shumilova

By @elena_shumilova

"Aquele que sorriu quando soube que eu viria especial."

"O meu brinca de caretas para me fazer sorrir."

"Meu pai lavava as mãos muitas vezes, mesmo que não pudesse tocar em mim."

"O meu chega do trabalho já lavando porque eu abro um sorrisão pra ele."

"Meu pai cantava umas músicas esquisitas quando eu ainda estava na barriga da mamãe."

"O meu pai aprende a cantar as músicas dos meus desenhos favoritos."

"Meu pai me ama incondicionalmente mesmo eu estando longe."

"O meu me olha nos olhos e me mostra isso também, todos os dias." 

Aracelli Moreira

 

Qualquer reprodução deste texto deve seguir com a fonte de autoria: Aracelli Moreira, www.coracaodeleao.com.br


 

 
 

Site feito com amor por